Buscar
  • Maria

Como fazer um plano de contas gerencial em 7 passos



Toda empresa que zela pela organização e sucesso do seus negócios necessita de um plano de contas.


Através dele, você consegue obter uma melhor organização e visualização dos resultados no fim do mês.


Suas finanças precisam de uma rotina e de um plano que funcione a todo o tempo, com você e por você, e para isso existe o plano de contas.


Se você deseja aprender mais sobre ele, continue com a leitura desse artigo até o final!


Por que fazer um plano de contas?


Como dito anteriormente, obter um plano de contas ajuda e muito a manter a vida financeira da sua empresa/escritório em organização.


Essa organização é recorrente de técnicas, que garantem categorização de receitas, custos e despesas, favorecendo a melhor estruturação para o seu negócio.


Podemos afirmar então, que investir em um plano de contas gerencial é um ótimo investimento para você que deseja ver seus negócios crescerem pode fazer.


Ele é como um volante de um veículo, que mantém todo o resto na estrada, no mesmo caminho, e sem perder a direção.


Ele não é essencial, mas acredite, pode fazer toda a diferença para o futuro da sua empresa/escritório.


O que é um plano de contas?



De maneira bem resumida, um plano de contas gerencial, é um modelo que reúne uma listagem de categorias de contas para classificação das entradas e saídas que compõem fluxo de caixa.


Mas, não se esqueça que plano de contas gerencial é uma coisa, e plano de contas contábil é outra. Na segunda opção, a complexidade de informações é muito maior e sua abrangência também.


Com o plano de contas gerencial, você encontrará soluções para problemas financeiros, além de gastos desnecessários e fluxo, através de informações indispensáveis, como:

● Custos variáveis

● Despesas fixas

● Entradas

● Investimentos

● Entradas e saídas não operacionais


Através dessas informações, é possível facilitar o processo de organização e alimentação do fluxo de caixa de qualquer negócio.


Consequentemente, essa organização e alimentação podem trazer maior segurança para o seu empreendimento, que poderá crescer com muito mais tranquilidade.


Como já foi dito anteriormente, quanto melhor organizada for a questão financeira, melhor organizados serão todos os processos envolvidos.


Passo ao para a realização do plano de contas gerencial



Agora, que você já sabe o quanto um plano de contas pode ser benéfico para o seu escritório/negócio/empreendimento, já deve estar se perguntando por onde começar.


O plano pode ser feito a partir de 7 passos simples, que são:


1. Liste as despesas, receitas e custos da empresa: não se esqueça das entradas, das despesas variáveis, das despesas fixas, dos investimentos, e etc. Para fazer a distinção entre gastos fixos e variáveis você deve se perguntar o seguinte: quais gastos aumentariam se eu passasse a vender o dobro do que vendo hoje? Esses são seus gastos variáveis. Seus gastos fixos, por outro lado, são aqueles que não variam muito de um mês para outro independente do quanto você venda e por isso os chamamos de fixos. E não se esqueça também, das entradas e saídas não operacionais, que implicam pagamento e recebimento de empréstimo, pagamento de juros, distribuição de lucros, e etc.


2. Agrupe-os em contas sintéticas: agrupe os itens listados no passo 1 em contas sintéticas, que são contas que possuem um menor grau de detalhamento. Exemplos de contas sintéticas: despesas administrativas, despesas comerciais, receitas de vendas.


3. Agrupe-os em contas analíticas: agora sim, você pode e deve detalhar. Você listou suas despesas, receitas, custos e agrupou eles em contas maiores no item 2, certo? Agora, dentro das contas sintéticas, faça sub-categorias, que serão as contas analíticas e agrupe os itens listados em 1 nelas. Exemplos de contas analíticas: salários, energia, água, aluguel, material para escritório, marketing e publicidade, impostos, pró-labore, etc. Note que esses exemplos se enquadram dentro das contas sintéticas citadas acima.


4. Analise se existem categorias redundantes que podem gerar dúvidas: pode acontecer de você criar duas categorias que poderiam ser agrupadas em uma só. Pense só, quem estiver lançando pode ficar confuso na hora de decidir em qual categoria lançar no caso de existirem duas muito parecidas.


5. Analise se está muito detalhado de forma que exista uma categoria para um tipo muito raro de lançamento: isso pode dificultar ao invés de facilitar. As vezes, a pessoa foca tanto no detalhamento que o plano de contas fica gigantesco e confuso. Então, por exemplo, se existe um tipo de lançamento muito raro, e pouco relevante, tenha uma categoria chamada "Outros", para esse tipo de caso.


6. Faça uma tabela informando em qual categoria (conta) entram as receitas e despesas listadas no passo 1: é, inclusive, nesse momento que você pode perceber que esqueceu de categorias importantes, ou pode se lembrar de alguma despesa ou receita. Essa etapa é extremamente importante, porque com esse registro você garante que qualquer pessoa que opere o financeiro do seu negócio saiba como categorizar as contas e mantenha os lançamentos organizados. Para você que criou o plano de conta spode ser fácil e intuitivo, mas não para quem não está acostumado com o negócio, então a tabela já reduz tempo de treinamento, por exemplo. Exemplo de como pode ser feita a tabela:

7. Caso use algum sistema de gestão financeira, importe o novo plano de contas.


Conclusão


A importância de obter um plano de contas é indispensável, pois se trata de uma necessidade para a boa saúde do seu empreendimento.


Com ele, você terá acesso a todo o fluxo financeiro do seu negócio, podendo obter o controle de todas as outras áreas, sem surpresas desagradáveis com gastos desnecessários.


Aqui, no Manda Pro Financeiro, nós ajustamos todo o plano de contas dos clientes, e os relatórios contidos na plataforma são todos baseados no mesmo plano.


Nós facilitamos para você, que ganha muito mais tempo para investir no crescimento da sua empresa!

60 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo